13
Abr 09

O poeta colombiano Mario Rivero faleceu hoje. Era considerado o precursor da poesia urbana no seu país. Muito apreciado por nós, Casa dos Poetas, publicamos hoje um poema seu com tradução de Tiago Nené.

 

Um habitante

 

Este homem não tem nada que fazer

sabe dizer poucas palavras

leva nos seus olhos colinas e sestas na relva

Vai em direcção a algum lugar com um pacote debaixo do braço

em busca de alguém que lhe diga "entre"

depois de ter engolido o pó

e o estridente apito dos comboios

depois de ter visto a lista de empregos nos jornais

Não deseja mais do que descansar um por um os seus poros

Há tanta solidão a bordo de um homem

quando apalpa os seus bolsos ou conta os frangos assados nas vitrinas

ou na rua os cavalinhos que fazem a chuva feliz

E dentro da tibieza as bocas sorriem à meia-noite

algumas se beijam e entesouram desejos

outras mastigam chicletes e brincam com as chaves

Crescem os bosques de ídolos

e o caçador se faz cobrar pela sua melhor peça

 

Mario Rivero

Poema traduzido por Tiago Nené

 

 

 

Se gostou deste post, considere subscrever o nosso feed completo.

Ou entao subscreva a Casa dos Poetas por Email!

postado pelo Casa dos Poetas às 22:43
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa:

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO