06
Fev 09

OS CICLOS

 

Estive à conversa com o teu verdugo.

Um homem pulcro, amável.

Disse-me que, por ser eu,

podia escolher o modo de partires.

Os esquimós, explicou, quando ficam velhos

Perdem-se pelos caminhos

para que o urso os coma.

Outros preferem terapia intensiva,

médicos correndo ao redor, tubos, oxigénio

e inclusive um pároco aos pés da cama

fazendo sinais de hospedeira de bordo.

 

"É inevitável?", perguntei.

"Não devia ter vindo até aqui com essa chuva",

Respondeu-me.

Depois falou do ciclo dos homens, dos

aniversários, da dialéctica estéril do futebol, da infância

e os seus estrondos imensos cheirando a pneus.

"No entanto", disse sorrindo,

"as ambulâncias acabam devorando tudo".

Então assinei os papéis

e perguntei-lhe quando aconteceria...

Agora!, disse. Agora

tenho nos braços o teu vasilhame regressável.

E decido não chorar,

não fazer barulho,

para que lá no alto

possas achar

a mão erguida do teu falcoeiro.

 

Fabián Casas

 

Tradução original de Joca Reiners Terron.

Adaptação ao português europeu por Tiago Nené.

 

 

 

 

Se gostou deste post, considere subscrever o nosso feed completo.

Ou entao subscreva a Casa dos Poetas por Email!

postado pelo Casa dos Poetas às 13:00
Canção:: Bruce Springsteen - Outlaw Pete
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa:

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
links
blogs SAPO