06
Dez 08

CARTA A EGITO

 

Escrevo-te, Egito, como se não tivesses

partido, em dor quase feliz, para outra morada

um pouco mais longe mas também

em redor, uma coisa enrolada

na casca do coração. Por isso, o que sinto agora,

é um luto luminoso. Um pacto natural. Conversar contigo,

pedir-te conselho, lembrar-me que foste

um poeta prático

é coisa que vai continuar comigo

até ao fim. O teu rumor será apenas

um pouco mais tranquilo, mais subterrâneo.

Eu não sei se o amor tem algum poder

sobre a doença da morte mas sei que ela foi terna

contigo. Tu sabias. Nunca nos perguntámos,

Como amar? Como envelhecer? Como morrer?

embora eu soubesse que, melhor do que ninguém,

tu sabias - essas coisas que não se dizem

quando se conhecem. E até fiquei um pouco

contagiado. A morte é tão simples,

disseste-me um dia, como dizer Boa noite

ou Até amanhã (...)

-

Casimiro de Brito

IN-Ao Porto Colectânea de Poesia sobre o Porto

Adosinda Providência Torgal

Madalena Torgal Ferreira

Publicações Dom Quixote

 

 

 

Se gostou deste post, considere subscrever o nosso feed completo.

Ou entao subscreva a Casa dos Poetas por Email!

postado pelo Casa dos Poetas às 19:30
Canção:: Bruce Springsteen - My Lucky Day
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa: ,

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO