01
Dez 08

Já aqui demos uma pequena volta à Roménia, apesar de a poeta Golgona Anghel escrever sobretudo em português, e hoje vamos dar destaque a Tristan Tzara, poeta que, à semelhança da jovem Golgona Anghel, também escrevia numa língua estrangeira, neste caso o francês.

 

 

EU ESTOU SÓ

 

Eu falo de quem fala de quem fala que estou só

Eu sou apenas um pequeno ruído eu tenho vários em mim

Um ruído amassado gelado na intersecção das ruas

despejado no pavimento húmido aos pés dos homens

precipitados correndo com as suas mortes

À volta da morte que estende os seus braços

Sobre o relógio sozinho respirando ao sol.

 

 

Tristan Tzara, in L'Homme approximatif

(tradução de Tiago Nené)

 

Para ler a versão original do poema em francês, seguir pelo Modus Vivendi.

Para saber mais sobre Tristan Tzara, seguir pelo blogue Insónia do nosso amigo Henrique Manuel Bento Fialho.

 

 

Se gostou deste post, considere subscrever o nosso feed completo.

Ou entao subscreva a Casa dos Poetas por Email!

postado pelo Casa dos Poetas às 14:00
Canção:: Mother - John Lennon
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa: ,

2 recitais:
SER

Só por não ser
Ser mesmo depois de crescer
Só por quereres ser
Ser vida depois de morrer

Se és ser
Perguntas-te porque o és
Mas mudas de ser
De lés a lés

Ser sonho
Ser real
Ser não é ser
Se não for ser especial

Não faz sentido ser
Porque sendo sem sentido
Não é tão simples responder
Que é um ser perdido

Ser significado
Ser só em pecado
A culpa de se ser
É não deixar de o ser

E sendo só mais um ser
És aquilo que não podes ser
Mero verbo inconsciente
És ser sem ser ciente
Rachel a 14 de Março de 2009 às 18:01

PUBLIQUEM MAIS POEMAS DE TRISTAN TZARA!
OBRIGADO!
GUSTAVO OLIVEIRA a 6 de Maio de 2009 às 14:13

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
links
blogs SAPO