18
Nov 08

Com o Leixões em primeiro lugar da primeira liga portuguesa de futebol, fomos buscar um poema do Conde de Matosinhos em jeito de homenagem.

 

 

MALACA CONQUISTADA

 

Aquelle que deixando a esposa amada

E tenros filhos, rompe o mar furioso

Nao respeitando a idade respeitada,

O que manda seu rey, cumpre animoso:

O que deixa Bintam desbaratada,

E que a Cunda comete generoso,

He Francisco de Sá no firn dos annos

Dino exemplar de brauos Lusitanos.

Esse he teu claro irmâo, que hoje prudente

Cargo illustre ministra soberano,

E cuberto de ames resplandecente

Já assombro foi do fero Mahometano.

Em firn o imitador do auo valente,

Que tomou as gales ao Castelhano,

Vio junto ao fresco Douro a luz primeira,

E a luz verá em Malaca derradeira.

Despois que em mil accóes o braco forte

Encher o mar do Oriente de esperança,

A que a todos iguala dura morte,

Lhe abrirá passo a eterna segurança.

Porem vés tu que opoem o peito à sorte

E por seruir seu Rey alegre cansa

O filho vejo mal remunerado,

E de seus bens o neto despojado.

 

 

Se gostou deste post, considere subscrever o nosso feed completo.

Ou entao subscreva a Casa dos Poetas por Email!

postado pelo Casa dos Poetas às 00:09
Canção:: Beirut - Pompeii EP
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa:

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

links
blogs SAPO