07
Nov 08

tem os pés mais cansados

do mundo, dissera-lhe o homem

enquanto seguiam os três com

as hortênsias. a criança sentada

 

sobre o dorso olhava o burro e

a vida que se abria em cada curva

como uma fotografia a sépia

de que nunca se regressa. muito

 

mais tarde, na mesma estrada,

viu o homem sozinho, sem o burro

nem as flores, e reconheceu em si

o imenso cansaço do mundo.

 

(in E Cabras, Galeria 111, 2008)

 

 

é sempre a mesma curva

cega, neste troço de pedra lascada,

não há como escapar

às primeiras chuvas

ao piso escorregadio dos olhos,

despiste, falésia mortal,

o coração não entende

sinais vermelhos.

 

(in Revista Telhados de Vidro nº 2, p. 39, Averno, Lisboa, Maio 2004)

postado pelo Casa dos Poetas às 09:45
Canção:: Nativus -liberdade pra dentro da cabeça
Poesia e Alguns dos Poetas da Casa: ,

PARCEIROS
pesquisar neste blog
 
Membros no activo
Ana Luísa Silva / Joana Simões / Ana Coreto / José Eduardo Antunes / Tiago Nené
arquivos
links
blogs SAPO